30 de janeiro de 2011

Death Note - Alumina

Nightmare

Nagareru toki no naka matataku
Setsunateki kirameki o
Kono yo no kioku ni kizamu tame
Arukitsuzukeru Believer..
Dare ni mo mirenai yume wo mite
Iranai mono wa subete suteta
Yuzurenai omoi
Kono mune ni yadoshite

Mada riaru idearu no hazama ni ite
Gisei no kase ni ashi wo torarete mo
Afureru shoudou osaekirenai
Tsuyoku motomeru Kokoro ga aru kara

Itsuwari osore kyoshoku urei
Samazama na negateibu ni
Torawareru hodo yowaku wa nai
Kodoku mo shiranu trickster

Yozora o tsukisasu biru no mure
Hoshi nado mienai sora miage
Mayoi wa nai ka to
Jibun ni toikakeru

Kono machijuu afureru mono ni mamire
Utsutsu wo nukasu you na koto wa nai
Asu e to tsunagaru michi no hate de
Kono te ni tsukamu mono wo mitai kara

Mabuta o toji
Ishiki no umi ni ukande
Omoiegaku risou wo te ni suru
sono toki wo

Kagiri aru sei wo kono yo ni uke
Kare yuku dake wa oroka ni hitoshii
Hoka no dare mo ga mochienai mono
Jibun jishin to iu na no kesshou e

Kireigoto o tsukitoosu koto
Itsuka fakuto e kawaru
Katakuna ni shinjitsuzuketai
It’s just my faith. The absolute truth.

Nagareru toki no naka matataku
Setsunateki kirameki wo
Kono yo no kioku ni kizamu tame
Arukitsuzukeru Believer



Uma faísca momentânea cintila
Com o tempo que flui
Eu continuo a caminhar
gravando as lembranças do mundo, acredito.

Eu tive um sonho que ninguém mais teve
E joguei fora tudo que não precisava
Não posso me render aos sentimentos
Que pulsam em meu peito

Mesmo que eu esteja entre a realidade e os ideais
E meus pés estejam presos
Essa onda de sentimentos não pode ser superada
Por que ainda tenho um forte desejo no coração.

Mentiras, medo, orgulho,sofrimento,
Não sou tão fraco assim
Atacado por tantas coisas negativas
Eu sou um trapaceiro que não conhece a solidão.

Eu olho para ps prédios que rasgam o céu de noite
As estrelas parecem não existir
E eu pergunto
Estamos perdidos?

A cidade inteira está coberta de pessoas ruins
Essas coisas não me enganam mais
Porque quero ver algo que peguei com minhas mãos
ser o elo pra o amanhã no fim dessa estrada

De olhos fechados
eu viajo no mar da minha consciência
Essa é hora que conseguirei
os ideais que sonhei

Levar uma vida podre neste mundo
É tão estúpido quanto estar morto.
Eu tenho que encontrar o que ninguém mais pode
Um cristal chamado "eu mesmo"

Atravesse com simplicidade que um dia
A verdade vai mudar
Eu quero continuar a crer
que o meu destino é a completa verdade.

Uma faísca momentânea cintila
Com o tempo que flui
Eu continuo a caminhar
gravando as lembranças do mundo, acredito
Tradução: Thiago Legionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...